Cará Espinho: menos gorduras, mais fibras e proteínas; veja detalhes

Cará Espinho ou cará-de-espinho é uma trepadeira muito vigorosa, com tubérculos grandes que podem chegar a 150 kg. Uma espécie usada como batata na produção de chips, purês e caldos. Fique de olho no artigo de hoje e descubra muito mais sobre ela!

O cará-de-espinho, também chamado de cará-japecanga ou cipó-jacaré, é uma herbácea perene, nativa, encontrada nas regiões Norte, Centro-oeste e Sudeste brasileiras. Sua ocorrência é mais frequente em aldeias indígenas e roças familiares no Baixo Amazonas.

Hoje, o Cará Espinho vem sendo cultivado ainda de modo experimental em instituições como o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas Campus Manaus Zona Leste (IFAM CMZL). Lá, os carás são plantados sob manejo agroecológico, ultrapassando impressionantes 150 kg.

Já ouviu falar de planta alimentícia não convencional? O cará-de-espinho é considerado uma delas, ou seja, uma PANC. Seu potencial na alimentação humana e enquanto fonte de renda para algumas comunidades é grande.

Os povos amazônicos brasileiros sabem bem das possibilidades culinárias do Cará Espinho, cujo nome científico é Dioscorea altissima Lam. Enquanto isso, os pesquisadores vão fundo nos estudos de suas características e benefícios à saúde.

Neste sentido, um dos destaques é a maior quantidade proteínas e fibras, e menor de lipídeos, em relação à mandioca, por exemplo. Por isso, o cará-de-espinho é uma alternativa a esta e outras fontes de carboidratos.

Aliás, as populações tradicionais da Amazônia, que costumam trocar carboidratos em geral pelos derivados da mandioca, também apostam na produção de carás para complementar sua alimentação.

Portanto, diante do que falei acima, o cará-de-espinho é justificado enquanto PANC, uma vez que estas são espécies ainda subutilizadas na nutrição humana. Isto é, são itens pouco comuns na dieta diária de boa parte da população.

As PANC ainda costumam ter mais de uma parte passível de uso alimentício, mas dispõem de potencial para complementação alimentar, variação de menu, incremento e diversificação do sustento econômico.

Em localidades nas quais a desnutrição infantil é acentuada, como a região Norte, uma planta como o cará-de-espinho ganha maior relevância, contribuindo com a sobrevivência. Sem falar que ainda auxilia na dieta dos animais.

Cará Espinho: por que apostar nele como fonte de carboidratos?

O Cará Espinho, quando cortado, lavado e mantido adequadamente, tende a manter sua viabilidade para ingestão ou plantio por até 120 dias. Basta guardar o alimento em ambiente seco e longe da luz solar.

Ainda há muito o que explorar e aproveitar de espécies vegetais como o cará-de-espinho no Brasil, um país com grande diversidade de plantas nativas, muitas delas com potencial alimentício. A região Amazônica, na qual o conhecimento tradicional e o uso do cará pelos povos locais são mais expressivos, é uma verdadeira “ilha”.

É preciso ampliar as pesquisas e fazer análises profundas das espécies consideradas PANC; avaliar suas composições nutricionais, aceitabilidade, aspecto sensorial e vida de prateleira, entre outras características.

Em resumo, o que se sabe até o momento sobre as funções nutricionais do cará-de-espinho, demonstrado por estudos de suas amostras, é que a planta é equivalente à mandioca, porém, ligeiramente mais saudável e nutritiva que ela.

Os motivos, é bom destacar, são: menor teor de gorduras e maior de fibras e proteínas. Ou seja, o Cará Espinho apresenta, sem dúvida, quesitos nutricionais no mínimo interessantes para alimentação humana e animal.

Lembrando que proteínas são imprescindíveis ao desenvolvimento e à manutenção dos organismos. E que o consumo exagerado de lipídios, principalmente de gordura saturada, é um fator decisivo no surgimento de doenças cardiovasculares.

Por outro lado, ingerir quantidades ideais de fibras diariamente costuma diminuir o risco de desenvolvimento de algumas enfermidades crônicas; melhora os níveis dos lipídeos séricos; ajuda a controlar a pressão arterial e a glicemia; auxilia no emagrecimento e, ainda, atua positivamente no sistema imunológico.

Que bom poder contar com o Cará Espinho e outras plantas alimentícias não convencionais (PANC) para levar à mesa opções diferentes, ricas em nutrientes e acessíveis economicamente, não é mesmo?

Cuide-se!

Até breve…

Leave a Reply