Bugre: chá tem propriedades emagrecedoras; conheça

Bugre, chá-de-bugre ou porangaba. É possível que você já tenha ouvido falar ou usado essa planta brasileira com ações que favorecem o emagrecimento. Saiba mais sobre essa árvore, suas propriedades e utilidades lendo este artigo até o fim. Vamos lá!

A porangaba é encontrada em toda a América do Sul, principalmente no Brasil (existente em todo o território) e em países como Argentina e Paraguai, sendo conhecida ainda por café-do-mato.

O motivo: seus frutos lembram os do café torrado – e não é à toa que servem para produzir uma bebida capaz de substituir o nosso famoso cafezinho.

A erva do Bugre nasce de uma árvore de copa comprida, podendo chegar aos 12 metros. Apresenta pequenas flores brancas cheirosas e frutos facilmente confundidos com o café.

Seu chá é muito popular na indústria farmacêutica por trazer diversos benefícios ao corpo humano, inclusiva na substituição da cafeína diária.

Mas, curiosidades à parte e apesar de contar com diversas indicações de uso, o chá-de-bugre é muito procurado por quem deseja emagrecer. Diz-se, entre outras coisas, que ele age na queima de gorduras abdominais profundas, especialmente quando faz parte de compostos com outras plantas.

A complementação do potencial emagrecedor da porangaba geralmente é feita com ervas como o chá-verde, ginseng ou guaraná. Estas, somadas à cafeína presente no chá-de-bugre, funcionam como estimulantes potentes, que contribuem para a queima de calorias.

A porangaba serve de ingrediente em um produto fitoterápico bastante conhecido: Pholia magra. Este age como inibidor de apetite, promovendo a sensação de saciedade, e é consumido geralmente antes das refeições quando a ideia é perder peso. Há quem recorra a ela na tentativa de vencer a obesidade.

A razão é que a planta Bugre é capaz de proporcionar aquele sentimento de estar “cheio”, levando a pessoa a ingerir menos alimentos. Por esse motivo, o chá costuma ser indicado para quem está com sobrepeso, especialmente os que comem compulsivamente e encontram dificuldades em reduzir a quantidade das porções.

As propriedades atribuídas ao chá-de-bugre incluem, além das citadas acima, as ações cicatrizante, antirreumática, antitussígena, antidiarreica; febrífuga; anti-inflamatória (inclusive contra celulite) cardiotônica; contra mau hálito e herpes tipo 1; diurética; antiulcerosa.

Acredita-se que o consumo regular da bebida pode ajudar no controle do ácido úrico; auxiliar no tratamento de aftas, gastrite e artrite; atuar na prevenção de câncer; combater má circulação, favorecer o tratamento de feridas, entre outras condições e desconfortos.

As funções diurética, anti-inflamatória e estimulante da circulação fazem da planta uma aliada na eliminação de toxinas do organismo por meio da urina e, por consequência, coadjuvante no combate à celulite.

É claro que tudo isso deve estar acompanhado de outros fatores, tais como alimentação balanceada e prática regular de atividades físicas, ok?

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Bugre: advertências e outras informações

Integrante da família das Boraginaceae, oficialmente, chama-se Cordia salicifolia. O chá-de-bugre recebe outros apelidos e nomes botânicos, conforme o local em que é encontrado. Por exemplo: chá-de-frade, bugrinho, rabugem, cafezinho, laranjeira-do-mato, café-de-bugre, claraíba, Cordia digynia, Cordia ecalyculata e Corida coffeoides.

Por causa dos efeitos estimulantes do chá-de-bugre, ele deve ser consumido com cautela por pessoas que sofrem de nervosismo, estresse, insônia, ansiedade e outras condições do gênero. Pela mesma ação, indivíduos com hipertensão ou problemas cardíacos também precisam tomar cuidado ao consumir a bebida ou outros produtos à base de porangaba.

A erva conta com propriedade cardiotônica, isto é, atua como uma espécie de tônico para o coração, porém, pode interagir com outros medicamentos. Portanto, não deve ser ingerida sem consentimento do cardiologista.

Outro cuidado importante é com a ingestão de água durante o uso de Bugre, por causa do efeito diurético da planta. Lembrando que existem diversos problemas ligados à falta de hidratação do corpo, além de perda grande de minerais através da urina em caso de abuso de substâncias diuréticas.

Cuide-se!

Até breve…

Leave a Reply