Zimbro: usos e benefícios

O zimbro, muitas vezes considerado uma espécie de fruta, é uma erva que fornece pinhas parecidas com pequenas amoras. Para quem já conhece a planta, no entanto, seu cheiro característico de plantas do tipo pinho não deixam dúvidas.

De qualquer forma, são estas pequenas pinhas produzidas pelo zimbro que carregam uma série de possíveis benefícios para a saúde. Isso inclui a ação de uma série de antioxidantes, e efeitos bactericidas em infecções e outras circunstâncias.

Seu sabor pungente e característico é utilizado para o tempero em diversas culinárias. Em especial, destacam-se as cozinhas europeia e indiana como utilizadoras recorrentes do zimbro como um tempero.

O uso da planta é reportado desde a Grécia Antiga, como um tipo de remédio. Atualmente, diversos estudos já comprovam a eficiência das pequenas pinhas no auxílio à saúde. Entenda de que forma o zimbro atua sobre o corpo, e quais são seus efeitos sobre nossa saúde:

Qualidades e origem

O zimbro é, em essência, um bactericida, um antiviral, um diurético e um antisséptico tópico – tudo em uma única planta. Isso faz com que a soma destas características auxilie no tratamento de toda uma variedade de condições internas e externas. Historicamente, a planta era utilizada para tratar doenças infecciosas e para auxiliar no parto.

Trata-se de uma planta verde, nativa de diversos locais do mundo. Ela pode ser encontrada na natureza em diversas partes da Europa, da Ásia e da América do Norte. Há, inclusive, uma série de variedades de zimbro, embora o chamado “comum”, seja o mais presente em quase todas as regiões.

A planta pode crescer, em casos mais extremos, até três metros de altura, com folhas longas e finas. A pinha, confundida com uma fruta, é formada de camadas de um roxo escuro.  É esta parte que você deve colher, caso tenha acesso a uma destas árvores.

Ação antioxidante

zimbro-foto-fonte-prata-smugmug-800x532

Um estudo realizado em 2011 por uma universidade na Tunísia realizou testes para averiguar a atuação do zimbro no corpo. A conclusão foi assertiva ao determinar que ele é poderoso para combater doenças no cérebro e nos vasos sanguíneos.

Segundo o estudo, esta ação ocorre em função da alta presença de antioxidantes presentes no fruto. Além disso, acredita-se que seu óleo essencial tenha ainda mais rapidez no efeito antioxidante. Isso permite uma ação eficiente contra os radicais livres responsáveis por doenças degenerativas.

Antibactericida e antisséptico

Junto a seus poderes antioxidantes, as pinhas do zimbro também oferecem proteção contra bactérias e outros agentes nocivos. Segundo um estudo alemão de 2010, a composição do óleo essencial da planta possui elementos claramente bactericidas.

Foram testados diversos tipos de bactérias, incluindo aqueles presentes em comidas estragadas, patógenos de animais e plantas, entre outros. O óleo essencial do zimbro inibiu o desenvolvimento das atividades bacterianas em quase todos os casos. Isso demonstra sua alta eficiência contra este tipo de organismo.

Formas de utilização do zimbro

file_84_9_1

A planta é amplamente utilizada em diversos livros de culinária, e oferece bastante versatilidade. Muitas receitas utilizam a pinha esmagada, esfregando-a diretamente sobre carnes, ou adicionando-as em molhos.

Para a ingestão direta na alimentação, recomenda-se dois a dez gramas de zimbro desidratados por dia – ou até 100 miligramas de seu óleo. Pode-se utilizar o fruto seco, por exemplo, em um chá, fervendo-o em água.

Veja também:

Leave a Reply