Picão: propriedades medicinais, usos e precauções

O chá de picão é, certamente, um dos mais conhecidos em regiões tropicais e subtropicais. Hoje, você vai entender quais as propriedades medicinais dessa plantinha que gruda na roupa. Vamos lá!

A bebida é preparada com uma planta nativa da Floresta Amazônica, conhecida no meio científico como Bidens pilosa. Já os apelidos são muitos: carrapicho, erva-picão, picão-preto, amor de mulher, piolho-de-padre, carrapicho agulha, macela-do-campo, gariofilata, carrapicho picão, guambu e pica-pica.

Na medicina caseira, a erva é utilizada para tratar males respiratórios, por exemplo. Acredita-se que o chá de Picão serve para limpar as vias aéreas, promovendo melhora da tosse e congestão nasal e demais sintomas que surgem durante uma gripe.

As propriedades medicinais incluem ação diurética. O que faz da planta uma aliada contra o excesso de líquido retido no corpo, que acaba provocando inchaço e diversos outros incômodos orgânicos e estéticos.

Para muitos, a capacidade de combater a retenção hídrica confere à erva um “poder emagrecedor” que ainda desintoxica o organismo. Fora isso, é considerada auxiliar em casos como má digestão, úlcera, afta, hemorroida, infecções vaginais e urinárias, além de problemas nos rins e estômago.

Outros benefícios atribuídos ao Picão: proteção do fígado, inibição de alergias respiratórias, asma, bronquite, catarro, amidalites; combate à intoxicação alimentar; estímulo à imunidade e à produção de insulina; ajuda no controle da pressão arterial e nos níveis de açúcar no sangue.

Uma das vantagens do chá de Picão seria a possibilidade de controlar a pressão sem causar alterações cardíacas ou na urina.

As principais propriedades terapêuticas da planta são as ações diurética, antioxidante, antisséptica, antiespasmódica, antiulcerosa, anti-inflamatória, vulnerária, antidesentérica, hipoglicemiante, antitumoral, antiviral, bactericida, antifermentativa e hepática.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Picão: cuidados e contraindicações

O chá de Picão é contraindicado para grávidas e pessoas com sensibilidade à cafeína. Quanto às crianças, existem contradições em relação ao consumo da bebida por elas. O ideal é sempre consultar um pediatra de sua confiança antes de começar qualquer tratamento, especialmente nos recém-nascidos.

Na internet, existem artigos apontando o preparo como remédio para icterícia. Porém, há também conteúdo sugerindo que a planta não deve ser oferecida aos bebês, por causa do risco de efeitos colaterais como a convulsão.

Sobre o “emagrecimento” devido à ingestão regular do Picão, é bom destacar que a erva oferece propriedades que colaboram com a redução do inchaço, uma vez é capaz de aliviar a retenção de líquidos e melhorar o funcionamento do intestino.

Entretanto, embora tais fatores possam contribuir com a perda de alguns quilos (e centímetros no abdômen), tudo indica que faltam estudos para comprovar resultados satisfatórios do vegetal com objetivo de emagrecer.

Na verdade, o que acaba acontecendo é a perda de peso como uma espécie de efeito colateral do uso do Picão para diversas condições citadas nos parágrafos anteriores.

Picão: informações botânicas

Pertencente à família das Compostas, o Picão é uma erva que cresce em quase todas as regiões do Brasil. Apresenta caule ereto, quadrangular, podendo alcançar mais de 1 m de altura.

Suas pequenas folhas são de grande valor medicinal. Seu aspecto é membranoso, medindo aproximadamente 10 cm de comprimento. Com cheiro facilmente identificado em seu meio, a folhagem possui tonalidade amarelada ou esbranquiçada.

O Picão é famoso tanto por seu uso interno quanto externo (banhos). Para os adeptos do chá de Picão, ele é uma forma natural de tratar distúrbios menstruais, diabetes, acidez estomacal, vermes, além de outros problemas que você viu no artigo de hoje.

Consulte sempre um médico antes de começar um tratamento.

Cuide-se! Até breve…

Leave a Reply