Pega-pega: propriedades medicinais e curiosidades

Pega-pega, um nome que remete a uma brincadeira infantil, é apelido de uma planta considerada erva daninha, mas que possui propriedades terapêuticas. Seu nome científico é Desmodium canum. Descubra muito mais nos próximos parágrafos!

Começo pelas propriedades medicinais associadas à Pega-pega: béquica, diurética, febrífuga, estomáquica, antiblenorrágica, tônica e hepática.

Por causa delas, a planta seria indicada para tratar afecções nos rins, cistite, distúrbios gástricos e no fígado; uretrite, bronquite, dor de estômago e nos membros; úlceras, feridas, inflamação no pênis, entre outras condições e desconfortos.

Na medicina popular, a Pega-pega é utilizada por meio de infusão das suas folhas para agir em casos como gonorreia; enquanto a parte aérea da planta é usada em problemas nos ovários e o vegetal todo serviria para tratar bronquite, asma e afecções dos rins.

Acredita-se que as folhas de Pega-pega combatem o “amarelão”, agem como diuréticas e em disfunções renais. E que sua raiz é especialmente útil em males no sangue, bexiga, próstata e disfunções na urina.

Atenção: este post tem função de informar. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento. Não faça automedicação, ainda que usando plantas.

Toda planta ou erva medicinal pode trazer em sua composição substâncias químicas com potenciais alergênico, inflamatório e intoxicante. Apenas um médico pode decidir o que é melhor para cada pessoa e prescrever tratamentos de acordo com a situação específica.

Dependendo da região em que é encontrada, a planta Pega-pega é conhecida também como:

  • Agarra-agarra
  • Amor-de-burro
  • Amor-de-vaqueiro
  • Amor-do-campo
  • Amor-seco
  • Amor-agarrado
  • Amorico
  • Amorzinho seco
  • Barba-de-boi
  • Beiço de boi
  • Carrapichinho
  • Carrapicho
  • Carrapicho cuambu
  • Carrapicho-de-agulha
  • Carrapicho-de-duas-pontas
  • Carrapicho-beiço-de-boi
  • Carrapicho-miúdo
  • Carrapinho de favinha
  • Focinho de boi
  • Macela-do-campo
  • Manduvarana
  • Marmelada-de-cavalo
  • Mata-pasto
  • Mela bode
  • Trevinho-do-campo

Pega-pega: características e usos

Pega-pega é uma planta invasora, muito comum especialmente na região Sul do Brasil; aparece em beira de estrada, pastagens, pomares, culturas anuais; cresce espontaneamente também em hortos abandonados, campos, gramados.

Ocorre em quase todo o país, principalmente na planície costeira, onde é considerada uma daninha. É uma espécie facilmente adaptável, das regiões tropicais às subtropicais frias, incluindo diferentes solos e resistência à seca.

Uma curiosidade sobre a característica econômica da Pega-pega é que ela apresenta ótimas propriedades forrageiras, servindo de alimento para o gado. Associada a gramíneas, é bem-aceita tanto seca quanto verde, em forma de feno.

Talvez você já tenha encontrado a Pega-pega em algum lugar… Basta lembrar de uma plantinha que fica grudada na roupa. Sim, as vagens do vegetal aderem com firmeza aos tecidos…

O caule da Pega-pega cresce até cerca de 50 cm de altura. Ela apresenta flores em tom rosado/lilás e frutos tipo vagem que possuem extremidade em forma de gancho para favorecer a fixação em pessoas e animais, estimulando a disseminação das sementes.

Encontrei variações quanto à família da qual a Pega-pega faz parte: Cesalpinaceae ou Leguminosae. Em relação aos seus nomes botânicos/espécies similares, existem os seguintes:

  • Desmodium adscendens D.C.
  • Desmodium frutescens Schindl.
  • Desmodium incanum DC.
  • Desmodium portoricense (Spreng.) G. Don
  • Desmodium racemiferum DC.
  • Desmodium supinum DC.
  • Hedysarum canum J.F. Gmel.
  • Hedysarum frutescens Jacq.
  • Hedysarum incanum Sw.
  • Hedysarum racemiferum J.F. Gmel

Hoje você viu como a Pega-pega é utilizada na medicina popular na busca de alívio ou cura de diversas enfermidades, além de outros detalhes sobre essa plantinha que agarra quando entramos em contato com ela.

Porém, antes de terminar, deixo um recado pensando no seu bem-estar: aderir à fitoterapia requer alguns cuidados, como identificação correta da planta; perfeita colheita dela em local e tempo adequados; boas condições de armazenamento da planta; uso da dose indicada; disposição para fazer o tratamento pelo período prescrito.

Cuide-se!

Até breve…

Leave a Reply