Noz-de-cola: fonte de cafeína, possui ação estimulante

Fadiga, problemas musculares e sintomas da depressão estão entre os motivos da busca pelo extrato de Noz-de-cola. Além disso, a semente é usada para produzir bebidas e aromatizar alimentos. Descubra mais sobre ela lendo este artigo até o final!

Embora a eficiência da Noz-de-cola ainda não tenha sido completamente comprovada pela ciência, a tradição medicinal caseira considera o alimento também no combate à atonia, disenteria, melancolia e até Síndrome da Fadiga Crônica (SFC).

Os benefícios ligados ao consumo regular da planta ainda incluem: combate à anorexia, ação estimulante sexual e inibidora das crises de enxaqueca. E mais: a espécie costuma ser aproveitada por pessoas que procuram saúde, melhora do sistema imunológico e do rendimento nas atividades físicas.

No continente africano, onde nasce espontaneamente nas regiões quentes e úmidas, a Noz-de-cola é usada principalmente para fins medicinais, além de ingestão em cerimônias e outras ocasiões sociais típicas daquela cultura. Suas sementes de gosto amargo intenso e poder estimulante são empregadas inclusive em rituais e oferecidas a visitantes.

Semente extraída de planta com mesmo nome, a Noz-de-cola é muito utilizada na África Ocidental e Nigéria. Ela é fonte de cafeína e, por isso, age estimulando o sistema nervoso central (SNC), coração e músculos.

Há referência na internet a estudos patrocinados pelos fornecedores da semente sugerindo que Noz-de-cola, efedrina e casca de salgueiro, juntos e ingeridos por até 6 meses, podem proporcionar discreto emagrecimento.

O consumo desta combinação geralmente é indicado para pessoas com sobrepeso ou obesidade. No entanto, existem sérias preocupações em relação à segurança da efedrina, fazendo com que a mistura não seja muito recomendada, para evitar efeitos colaterais graves.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Importante: geralmente, quando há prescrição da Noz-de-cola, seu uso é feito por via oral, em quantidades medicinais e por um espaço curto de tempo. A mastigação da semente de Noz-de-cola é relacionada ao aumento do risco de câncer gastrointestinal.

Lembrando que a planta é rica em cafeína, e esta, quando consumida em excesso tende a provocar nervosismo, dor de cabeça, ansiedade, zumbido nos ouvidos, insônia, inquietação, vômito, aumento da frequência cardíaca, irritação no estômago, alteração no ritmo respiratório e outras consequências secundárias que podem variar de pessoa para pessoa.

Noz-de-cola: conheça melhor esta planta e seus usos

A semente é vendida em forma de pó nas lojas de produtos naturais e algumas especializadas em suplementos alimentares. Há quem prefira consumir o produto misturando-o ao café, chá ou chocolate quente. Devido à boa quantidade de cafeína e teobromina, a Noz-de-cola pode substituir o cacau e o próprio café.

A Noz-de-cola pertence às plantas do gênero Cola, do grupo de várias espécies de Malvales. As variedades mais comuns delas vêm de árvores da Indonésia ou África, entre as quais estão cola vera, cola nitida e cola acuminata. Na verdade, no total, são cerca de 125 espécies.

Também chamada de cola, mukezu, obi, oribi, café-do-sudão, orobó e abajá, a planta rica tem capacidade de estimular e regularizar a circulação sanguínea. Acredita-se ainda que ela possa combater anemia e ajudar na recuperação após doenças graves.

Tempos atrás, o café-do-sudão era usado para fabricar refrigerantes à base de cola, sendo substituído posteriormente por aromatizantes artificiais para diminuir os custos da produção.

Mas alguns itens parecem continuar com a Noz-de-cola em sua composição. Diz-se que bebidas como Red Cola, Cricket Cola e Harboe Original Taste Cola ainda trazem a semente, além de outros elementos.

Uma curiosidade para encerrar: a Noz-de-cola ganhou popularidade na América Latina depois que os escravos negros passaram a mastigar a semente na tentativa de aguentar os trabalhos forçados. Com o passar dos anos, a amêndoa foi sendo levada a outros países por razões agroindustriais.

E você, já tinha ouvido falar ou experimentou a Noz-de-cola? Deixe seu comentário!

Até breve…

Leave a Reply