Abrótano ou losna: uso medicinal inclui males digestivos; saiba mais

Dor de estômago e má digestão são dois dos principais problemas gástricos para os quais o Abrótano é procurado. A planta, também chamada de abrótano-macho, abrótega, abrótiga, alfacinha-do-rio, losna ou aurônia, é usada com remédio caseiro para outros males. Confira!

Há quem recorra à erva para combater frieira, dispneia, asma, distúrbios menstruais, tuberculose e ascite. Seu nome botânico é Artemisia abrotanum e ela conta com propriedades reguladoras do ciclo menstrual, carminativa, estimulante, diurética e vermífuga.

Age ainda como antisséptico e, quando aplicada na pele, atua feito repelente de insetos, além de possuir ação antitérmica. Talvez você já tenha ouvido falar dela com outros apelidos, entre os quais erva do fel, alenjo, erva de santa Margarida, sintro ou erva-dos-vermes.

Nativa da Europa, possui intenso sabor amargo; pode ser usada enquanto complemento no combate a vermes intestinais e para melhorar a digestão.

As capacidades atribuídas à planta Artemisia abrotanum incluem o favorecimento da contração do útero e, portanto, da chegada da menstruação em atraso. E mais: propriedades anti-inflamatória e imunoestimulante; contra azia, flatulência, vômito e náuseas.

Para obter as ações medicinais do Abrótano, a parte mais utilizada é a folha, que pode ser aproveitada em chás ou como tempero de receitas gordurosas.

Às vezes, as partes superiores das flores também servem de matéria-prima para diversos produtos e/ou métodos, entre eles extrato fluido, tintura e compressa.

A erva é encontrada em algumas feiras livres, lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação, e o chá é a forma mais comum de uso.

Geralmente, a infusão é preparada com 2 colheres (café) de folhas de Abrótano secas e 1 xícara de água fervente. Depois de amornar, a receita pode ser coada e consumida.

Trata-se de uma dica geral, encontrada na internet; seu uso deve ser orientado por um profissional, pois cada caso é diferenciado – e é necessário um diagnóstico correto para que o tratamento seja eficaz.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Entre os efeitos adversos da losna estão: aumento da pressão arterial, cólicas abdominais e sangramento.

O Abrótamo não deve ser usado por hipertensos e grávidas, já que tende a causar aborto.

Para os demais, o consumo do chá não deve passar de 4 semanas consecutivas, a não ser que haja indicação médica específica e devidamente acompanhada.

Abrótano: características e curiosidades

Pertencente à família das Asteraceae, o vegetal apresenta pequenas e estreitas folhas em tom verde acinzentado e flores amarelas.

O arbusto espesso pode chegar aos 90 cm de altura e é bastante utilizado em cercas vivas. Frequentemente cultivada por jardineiros, é uma espécie que enfeita e proporciona ao ambiente um cheiro de cânfora.

O nome científico remete à deusa grega Artemis. E por causa de seu forte odor foi usada por muito tempo como aromatizador natural. Mas existem certas lendas em torno da planta…

Na antiguidade, muitos acreditavam que o Abrótano era capaz de proteger os homens da impotência sexual. Já na Espanha e Itália medievais, a crença entre os jovens era que ela poderia ajudar no crescimento de barba.

Diz-se, inclusive, que a prática era esfregar folhas frescas na planta na pele na tentativa de estimular o nascimento dos pelos faciais.

Nas regiões rurais, durante o período Medieval, a erva chegou a ser empregada em “poções do amor”, preparos com a intenção de favorecer a virilidade. Por isso, recebeu apelidos como “amor de jovem” e “seduzindo a moça”.

É claro que hoje em dia tudo isso não passa de crendice, embora algumas ideias sobre as plantas medicinais, no passado, por falta de estudos científicos, tivessem sentido para muita gente – mesmo que fosse por pura fé ou disposição mental de que a erva funcionasse.

Até o próximo artigo!

Leave a Reply