Cáscara-sagrada: laxante, ajuda emagrecer; mas requer cautela

A Cáscara-sagrada é uma das plantas mais procuradas como laxante e até emagrecedor. Ela também tem ação diurética, ajudando a eliminar o excesso de líquidos e diminuir o inchaço corporal. Mas é bom não exagerar no consumo. Veja isso e muito mais no artigo de hoje!

A planta, cujo nome científico é Rhamnus purshiana, é encontrada facilmente em farmácias de manipulação e lojas de produtos naturais, inclusive na internet.

Famosa por combater a prisão de ventre e a retenção de líquidos, virou umas das queridinhas entre os que buscam emagrecimento. Porém, assim, como outras ervas, produtos alimentícios e medicamentos, convém não abusar dela, uma vez que isso pode prejudicar o organismo.

Eu explico! A Cáscara-sagrada provoca uma irritação no intestino, para que a evacuação das fezes aconteça. Na medida certa, isso pode ser bom, pois os compostos ativos da planta estimulam a movimentação no órgão; e teriam outra função, a de atuar nas terminações nervosas, agilizando o percurso dos alimentos e diminuindo a absorção da água.

Resultado: fezes mais hidratadas. E como os alimentos passam menos tempo em contato com as paredes intestinais, haveria a restrição na absorção de gordura.

Contudo, apesar de possuir benefícios, a planta tende a causar efeitos colaterais como: perda da regularidade para defecar; prejuízo na absorção de nutrientes; cansaço; cólica abdominal; redução do potássio no sangue; diarreia; falta de apetite; tontura; vômito; excesso de suor; náuseas.

Para evitar as reações adversas, o uso da Cáscara-sagrada deve contar sempre com orientação médica e cumprimento das recomendações e prescrições profissionais. Ou seja, nada de abusar na ingestão de chá, cápsulas ou o que for à base da planta na tentativa de potencializar seus resultados.

O ideal é aproveitar as propriedades laxantes, que ajudam a limpar o cólon e regular o aparelho digestivo, apenas em prisão de ventre ocasional, isto é, quando acontece alguma mudança na alimentação, rotina (viagem), devido fatores emocionais ou uso de medicamentos, por exemplo.

Mas, continuando a falar das propriedades e benefícios da Rhamnus purshiana, seu extrato é metabolizado pelas bactérias do intestino, promovendo a secreção de compostos que favorecem a movimentação no órgão, facilitando a expulsão das fezes.

Além das ações diuréticas, estimulantes, tônicas e laxativas, a planta pode auxiliar também no combate a problemas no fígado, dispepsia (dificuldade na digestão; azia, sensação de peso no estômago etc.), hemorroidas, menstruação desregulada, entre outras condições.

Acredita-se, ainda, que a erva pode contribuir para a perda de peso porque é capaz de diminuir a absorção de gordura e potencializar a digestão dela, sendo indicada inclusive para manter o colesterol sob controle. No entanto, nem tudo tem comprovação científica quando o assunto é planta medicinal.

Cáscara-sagrada: outros usos e contraindicações

Há quem recorra à Cáscara-sagrada para retardar os sinais de envelhecimento, atenuar rugas e manchas na pele, incluindo as marcas de acne. No último caso, o chá pode ser aplicado frio no rosto como tratamento e prevenção de espinhas.

Diz-se também que a Rhamnus purshiana conta com propriedades hidratantes e, por este motivo, pode ser aproveitada em produtos corporais para deixar a pele fresca e renovada o ano todo.

Ela seria útil ainda na melhora da saúde capilar, promovendo a limpeza do couro cabeludo e ajudando a eliminar caspa e piolhos. Algumas pessoas buscam em suplementos da erva a solução para queda de cabelo, pois acreditam que ela impede o bloqueio dos poros – fator que costuma provocar a perda dos fios.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento. Antes de passar chás, óleos e outros produtos na pele ou couro cabeludo, fale com seu dermatologista.

A Cáscara-sagrada é contraindicada para: gestantes, já que apresenta potencial abortivo; lactantes; menores de 6 anos; pessoas que sofrem de apendicite ou apresentam dor abdominal, desidratação, obstrução intestinal, sangramento retal, vômito ou náuseas.

Cuide-se!

Até o próximo artigo com mais ervas medicinais!

Leave a Reply