Ulmária: conheça sua variedade de usos medicinais

Ulmária é uma planta medicinal usada para combater diversas doenças e desconfortos, da enxaqueca aos problemas reumáticos. E hoje você vai ver os detalhes de suas propriedades terapêuticas e aplicações nos tratamentos caseiros. Vem comigo!

Entre seus usos estão ainda o tratamento de resfriados, enfermidades na bexiga e rins, gota, cãibras e febre. Ela é chamada também de erva-das-abelhas, rainha-dos-prados, barba-de-bode, olmeira, ulmeira, filipêndula, grinalda-de-noiva, orgulho do prado, ulmaire (francês), meadowsweet (inglês), ulmaria (espanhol) e erva-ulmeira.

Suas propriedades contam com ações analgésica, diurética, antimicrobiana, anti-inflamatória, febrífuga e sudorífera. Por trazer substâncias químicas parecidas com as da aspirina, a planta costuma ser usada como antitérmico e analgésico em caso de dor reumática. Os princípios ativos da espécie são:

  • Fenóis (atuam como antisséptico)
  • Flavonoides quercitina e rutina (ações antialérgica, anti-inflamatória e tônica sobre a circulação)
  • Minerais
  • Mucilagens
  • Salicilatos (ações anti-inflamatória, analgésica e antipirética)
  • Taninos (agem como adstringente e possuem ação regeneradora dos tecidos)
  • Vitamina C (ação imunoestimulante)

A Ulmária faz parte da família das rosáceas (Rosaceae) e tem como nome científico Filipendula ulmaria. Porém, encontrei outro atribuído a ela: Spiraea ulmaria L.

É um vegetal capaz de crescer até mais de 1 m de altura e apresenta folhas pecioladas e irregulares. A raiz é subterrânea e herbácea, e se desenvolve em solos úmidos, ricos em nutrientes, mas não muito ácidos, argilosos ou arenosos.

Originária da Ásia e Europa, é uma erva perene cujas flores esbranquiçadas ou amarelas vêm sendo estudadas há algum tempo, sendo estas as partes mais utilizadas para obter os benefícios da planta. Eventualmente, toda a Ulmária é empregada em preparos medicinais populares.

Uma das receitas disponíveis na internet é o chá de Ulmária, feito com 1 colher (sopa) da erva colocada em 1 xícara de água fervente. Depois de alguns minutos de repouso, a bebida, amornada, deve ser coada, e está pronta para consumo.

Além da infusão, a planta pode ser aproveitada em comprimido, extrato líquido e xarope. Como exemplos de uso, os brotos da Ulmária em forma de xarope são utilizados contra reumatismo e ureia alta. Já o chá após as refeições tende a ser ingerido como remédio caseiro para arteriosclerose.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Os efeitos adversos da Filipendula ulmaria incluem disfunções gastrointestinais. O que pode ocorrer quando há exagero na dose deste remédio natural. Por isso, é sempre bom seguir a prescrição feita por um profissional especializado.

Quanto às contraindicações da Ulmária, ela não deve ser ingerida por grávidas, uma vez que pode induzir o parto. Pessoas com grande sensibilidade aos salicilatos (compostos encontrados na planta) também não devem consumir produtos à base de ulmeira.

Ulmária: outros benefícios e indicações

  • Proteção da mucosa do trato digestivo (redução de acidez e náuseas)
  • Combate à celulite
  • Cicatrizante e antisséptica em queimaduras leves
  • Diarreia
  • Depurativa em dietas
  • Edemas
  • Hemorroidas
  • Hiperacidez gástrica
  • Insuficiência biliar
  • Problemas dermatológicos
  • Males digestivos
  • Úlceras pépticas

As raízes frescas da filipêndula são empregadas com frequência em preparos homeopáticos para tratar vários males, mas em quantidades pequenas.

É um remédio natural eficaz contra diarreias. Diz-se que a evidência científica mais importante dele hoje é encontrada no tratamento da diarreia em crianças.

Os cuidados estomacais também são mencionados na web como comprovadamente eficientes. Neste sentido, a Ulmária pode ser útil para aliviar gastrite, azia, má digestão, hiperacidez, úlceras nervosas e refluxo. Mas lembre-se: a automedicação pode ser muito perigosa. Mesmo com ervas, procure acompanhamento profissional.

Até a próxima!

Leave a Reply