Trevo-cheiroso: poderes anti-inflamatório e anticoagulante; veja

Trevo-cheiroso, trevo-amarelo e melioto são alguns dos nomes populares da planta Melilotus officinalis, uma espécie que vem sendo utilizada há muito tempo, e cujo nome quer dizer “lótus de mel”.

Seu uso principal é como estimulante da circulação sanguínea, podendo ajudar na redução do inchaço corporal. Quer saber mais? Dá uma olhada nos próximos parágrafos!

O Trevo-cheiroso é considerado interessante em casos como “pernas pesadas” ou insuficiência venosa crônica. E sua história está ligada ao descobrimento de remédios anticoagulantes (cumarina e seu derivado dicumarol).

Entre as principais finalidades do medicamento natural estão os tratamentos dos sintomas relacionados a varizes (dor, coceira, inchaço, câimbras etc.) e da insuficiência venosa, isto é, a dificuldade de volta do sangue das pernas para o coração.

Melilotus officinalis também serve para tratar coágulos ligados à inflamação nas veias (tromboflebite); acúmulo de líquido nos vasos linfáticos (congestão linfática); sinais e sintomas decorrentes de coágulos/trombos (síndrome pós-trombótica); dilatação das veias do ânus e reto (hemorroida).

A planta deve ser aproveitada preferencialmente em infusão, para obter sua ação venotônica. Suas folhas e flores são as partes com propriedades medicinais, e podem ser encontradas em feiras livres e lojas de produtos naturais, inclusive na internet.

Também chamado de anajá cheiroso e coroa-de-rei, o vegetal pertence à família das leguminosas. Graças à sua capacidade anti-inflamatória potente, o Trevo-cheiroso fornece uma bebida conhecida como ‘chá milagroso’.

Melioto é uma erva é bianual que alcança até 70 centímetros de altura; possui flores dispostas em cachos pendentes e alongados, além de ramos ascendentes.

Já suas folhas são trifoliadas, trazem um odor doce e agradável, que atrai principalmente as abelhas; e os frutos, curtos, enrugados, apresentam uma ou duas sementes lisas.

Basicamente, as propriedades atribuídas ao Trevo-cheiroso são: cicatrizante; anti-inflamatória, antisséptica, adstringente, antiedematosa, antiflogística, antiexudativa, béquica e antiespasmódica.

Além das funções que beneficiam a circulação, a planta é procurada como remédio caseiro para tratar problemas respiratórios. Por exemplo: tosse, gripe, faringite, amigdalite, rouquidão e resfriados.

Outras indicações populares do trevo-amarelo incluem má digestão, hiperacidez no estômago, desconfortos após ingestão de alimentos de metabolização difícil; traumatismos variados, reumatismo, anuria, amenorreia, cicatrização de feridas, febre intermitente, conjuntivite, azia, afecções nervosas, congestão linfática, prurido e edema nas pernas; eritema cutâneo, edemas inflamatórios e congestivos.

Em geral, para conseguir usufruir das propriedades medicinais do Trevo-cheiroso, é feito um chá com 1 colher das folhas ou flores secas da planta em 1 xícara de água quente.

Depois de manter a mistura descansando, tampada, por cerca de 10 minutos, ela deve ser coada. Esta receita, encontrada na internet, pode ser empregada também para tratar problemas externos. Para isso, o líquido deve ser usado nas áreas afetadas com ajuda de algodão ou gaze.

Acredita-se que o chá, misturado com mel, é capaz de dissolver as mucosidades acumuladas no organismo devido resfriados, enfermidades na garganta e peito, entre outras condições respiratórias.

Adeptos da medicina herbal costumam utilizar o trevo-amarelo como desinfetante, lavando feridas na pele. Outra aplicação da infusão é na tentativa de aliviar inflamações nos olhos, inclusive em situações como a conjuntivite.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Trevo-cheiroso: contraindicações e advertências

O chá de Trevo-cheiroso pode provocar cefaleia e torpor quando consumido em excesso. Respeite a quantidade diária prescrita pelo profissional capacitado.

Quando embolorada, a planta tende a causar hemorragia devido ao dicumarol.

Em pessoas predispostas, a erva pode levar a transtornos hepáticos temporários.

Melilotus officinalis é contraindica para grávidas, lactantes, crianças e indivíduos que usam medicamentos anticoagulantes.

Cuide-se! Até o próximo post…

Leave a Reply