Serralha é indicada para problemas gástricos, entre outros

Serralha (Sonchus oleraceus) é também chamada de chicória-brava. Planta não convencional na alimentação humana, cresce espontaneamente em lavouras ou ambientes urbanos. Fonte de vitaminas e minerais, ela pode ser usada em saladas e refogados, com sabor que lembra o do espinafre.

Da família das Asteraceas, a Serralha tem porte pequeno, poucos ramos, além de aspecto leitoso e raiz que vai fundo no solo. Para muitos, não passa de uma erva daninha, pois nasce em vários tipos de terrenos. Pode-se dizer que uma definição dela é “erva daninha que se come”.

Suas sementes são levadas a grandes distâncias pelo vento. Enquanto planta resistente e de rápido crescimento, ganhou fama de invasora, crescendo em plantações e pastagens, construções, junto a muros, em lugares de clima ameno ou moderadamente quente.

Em algumas situações, a Serralha é tolerada, nem sempre havendo necessidade de retirá-la. Além de servir de alimento para humanos, é útil na nutrição de porcos e ovelhas, que aceitam bem a erva. A planta é interessante entre uma cultura e outra, como nos intervalos entre milho, tomate e cebola, por exemplo.

Parente da alcachofra e do cardo-mariano, a Serralha é conhecida como cerraia, ciumo, serralheira e serralha lisa. No Brasil, é mais comum no Sul, e está presente ainda na África, Ásia e Europa.

O aproveitamento medicinal dela inclui usar toda a planta no preparo de cataplasmas e chás. Na cozinha, esta verdura não convencional serve para sopas, saladas e outras receitas. É uma hortaliça de sabor amargo, normalmente consumida cozida ou refogada.

A Serralha é fonte de flavonoides, vitaminas (A, E e D), ferro, fósforo e cálcio. As propriedades atribuídas a ela incluem ações: anti-inflamatória, cicatrizante, adstringente, antioxidante, diurética e até anticancerígena.

Já as indicações mais frequentes da Serralha são: cataplasma para alívio de desconfortos de origem reumática; combate à anemia carencial, astenia, afecções hepáticas e dor de estômago.

Para que serve a Serralha? Há quem a utilize ainda para aumentar a produção da bílis e melhorar o apetite; limpeza de impurezas do sangue, desintoxicação do fígado, favorecimento da digestão, tratamento de psoríase e eczemas; fortalecimento da visão e nervos.

O vegetal pode ser comprado em lojas de produtos naturais e em algumas feiras livres. Para obter seus efeitos benéficos, a dica é conservar a planta em vidros ou potes bem fechados.

Serralha: opções de uso e dicas

Resinas, óleo essencial, esteroides, vitaminas, glicídios e taninos fazem parte dos princípios ativos da Serralha. Dependendo da necessidade, muda o modo de preparo desta “erva daninha comestível”.

Na função de digestivo estomacal, hepático e intestinal, geralmente, a planta é consumida despejando 1 colher (sobremesa) da erva picada em 1 xícara (chá) e, em seguida, água fervente. Depois de abafar o líquido por 10 minutos e coar, o ideal e tomar 1 xícara de chá de Serralha antes das principais refeições.

Para efeito diurético, auxiliar em casos de cistites, edemas e infecções do trato urinário, em geral, são utilizadas 2 colheres (sopa) de Serralha picada em 1/2 litro de água em fervura. Após 5 minutos de fervura, é só coar e tomar o chá durante o dia, não sendo recomendado consumir a bebida a partir das 17 horas.

Estas são apenas algumas dicas habituais de uso da Serralha, resultados de pesquisas. É fundamental o acompanhamento especializado, a supervisão profissional de um fitoterapeuta ou naturopata ao administrar plantas medicinais.

Atenção: este post tem função de informar. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um especialista e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Toda planta ou erva medicinal pode trazer em sua composição substâncias químicas com potenciais alergênico, inflamatório e intoxicante.

Cuide-se!

Até breve…

Leave a Reply