Sassafrás: propriedades medicinais, usos e precauções

Sassafrás é uma planta tradicionalmente utilizada para tratar problemas como resfriados, gripes, artrite, acne, eczema, disenteria, reumatismo e diversos outros. Veja agora para que serve essa árvore e muito mais…

Suas propriedades incluem as ações antisséptica, antirreumática, diaforética, aromática, diurética e carminativa. Estas e outras capacidades ocorrem devido à presença de compostos tais como lignanas, resina, tanino, alcaloides (norboldina, boldina, reticulina) e óleos essenciais (anetol, pineno, eugenol, myristicina, asarona, tujona e safrol).

A Sassafrás é usada como remédio caseiro também contra febre, sarampo, herpes, gota, psoríase, entorpecimento muscular e parasitas. O nome científico dela é Sassafras albidum, mas popularmente é conhecida como canela de Sassafrás.

Na medicina popular, a planta serve para fazer um unguento que pode ser aplicado em músculos doloridos. Outra opção é a lavagem com Sassafrás, empregada em casos como carvalho e sumagre-venenoso.

Já o óleo essencial de Sassafras albidum, diluído, costuma ser aproveitado para auxiliar no combate a espinhas e piolhos, além de utilizado industrialmente na fabricação de perfumes, pasta de dente, sabões e líquidos para higiene bucal.

A erva é considerada estimulante do fígado, ajudando o órgão a remover as toxinas do corpo. Algumas pessoas recorrem ao chá de Sassafrás em busca de um depurativo do sangue e aliado no tratamento de erupções de pele e manifestações de sífilis.

Uma receita encontrada na internet recomenda 2 colheres (sopa) de cascas de raiz de Sassafrás em 1 litro de água. Depois de cozinhar por cerca de 3 minutos (contados a partir da ebulição), é só retirar do fogo, deixar repousando durante 10 minutos, tampado, e o chá está pronto para ser coado e consumido.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Importante: o chá de Sassafrás é contraindicado para gestantes e lactantes, pois diminui o leite materno. Além disso, a planta pode ter um efeito narcótico, e seus frutos pequenos e brancos não devem ser ingeridos.

Devido ação que afina o sangue, deve ser usada em quantidades pequenas, uma vez que sangue muito fluido tende a provocar hemorragia.

E mais: tudo indica que uma substância chamada safrole, que é encontrada na Sassafrás em níveis consideráveis, é cancerígena em animais. Por este motivo, produtos alimentícios contendo tal composto foram banidos pelo Food and Drug Administration (FDA), órgão que controla alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, e pela Health Canada.

Muita gente passou a evitar a planta, embora, até o momento, não tenha sido comprovado que ela causou câncer em seres humanos, quando usada corretamente, em doses apropriadas. Aliás, é bom destacar que o tratamento prolongado com Sassafras albidum é contraindicado, assim como o uso interno de seu óleo essencial.

Outro detalhe relevante é que a venda de produtos à base de Sassafrás é monitorada pela U.S Drug Enforcement Agency, uma vez que a casca da raiz da erva pode ser utilizada na sintetização de drogas recreativas como MDMA (ecstasy) e MDA.

Sassafrás: características, usos medicinais e outros

A maneira de utilizar a planta varia um pouco conforme a região. Por exemplo: nativos capixabas já faziam uso de Sassafrás para controlar a febre. Em certas localidades do Bahia e Espírito Santo, era ingrediente para encorpar molhos. Há quem use flores e folhas jovens de Sassafrás em saladas; e suas raízes na produção de cerveja e cachaça.

Sassafras albidum é uma árvore capaz de atingir até 25 metros de altura. Apresenta folhagem densa na cor verde-escura, tronco normalmente tortuoso e casca externa no tom castanho acinzentado a marrom. De sabor picante amargo e morno, o vegetal, de acordo com medicinas orientais, age nos meridianos do estômago, fígado e pulmão.

Comum no leste dos Estados Unidos, a planta fornece casca aromática e agradável, empregada geralmente como demulcente e carminativo aquecedor. Isto na intenção de suavizar e revigorar a digestão quando gases são formados e ficamos com aquela sensação desagradável de estômago muito cheio.

Aproveite os remédios que a natureza fornece sempre com acompanhamento adequado e bom senso.

Cuide-se!

Até breve…

Leave a Reply