Losna: no remédio ou bebida, cuidado com a dose! Entenda

Losna é a planta da qual é feita o absinto ou sintro, uma bebida cheia de histórias. Mas a Artemisia absinthium possui outras qualidades, propriedades e usos – que você vai descobrir agora mesmo!

Erva amarga utilizada desde a antiguidade principalmente na forma de licor, a Losna é, na verdade, um remédio natural.

As características inebriantes e alucinógenas são, talvez, a parte mais famosa da Losna. Porém, como a maioria das substâncias naturais, ela também apresenta indicações (e contraindicações) enquanto medicamento fitoterápico.

Entre os usos da Losna está o chá, e com finalidade terapêutica, a planta pode ser preparada através de cozimento ou infusão. Existe ainda o extrato líquido ou tintura-mãe, produto que costuma ser utilizado diluindo algumas gotas em água.

No entanto, Artemisia absinthium é uma espécie com ingredientes ativos tóxicos, capazes de levar a convulsões se forem consumidos do jeito errado. Já em pequenas doses e com a orientação correta, eles são estimulantes.

Ou seja, ingerir a Losna em quantidade maior pode levar à absorção de seus princípios tóxicos; em doses baixas, eles não são relevantes. Também não é aconselhável usar a planta por períodos longos.

Aqui eu aproveito para lembrar algo importante, que nunca é demais destacar: procure sempre um fitoterapeuta para ter a recomendação segura, de acordo com cada pessoa em particular – e jamais ultrapasse as doses prescritas dos remédios naturais.

Além disso, tenha em mente que todas as plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um profissional da área e seu médico antes de começar qualquer tratamento. O conteúdo deste post tem função de informar. Não substitui consultas e acompanhamento especializado.

A planta absinto, quando usada de modo adequado, pode ser aproveitada para obter as seguintes propriedades medicinais ou resultados:

  • Favorecer a circulação sanguínea
  • Estimular a produção do colesterol bom (HDL)
  • Digestiva e tônica, além de auxiliar o trabalho do baço, fígado e vesícula biliar, graças ao princípio amargo que diferencia a planta
  • Energética: a infusão de Losna pode auxiliar em uma convalescença, por exemplo, ajudando a estimular o apetite, aumentar a energia e as defesas do organismo
  • Aliviar os desconfortos da tensão pré-menstrual: a planta é capaz de favorecer o fluxo menstrual, diminuindo dores

Outras propriedades reconhecidas da Losna são as ações vermífuga, antisséptica, estimulante nervosa, anti-inflamatória, antiespasmódica, antipirética (contra febre).

Em relação às reações adversas da Losna, a planta absinto, elas incluem vômito, diarreia, dor de cabeça, queda na pressão arterial e nos batimentos do coração, convulsão e cansaço. Ela é contraindicada para pessoas com úlceras ou irritações gastrointestinais graves; grávidas e lactantes.

Losna: curiosidades sobre a planta e a bebida absinto

O uso medicinal da Losna era muito comum no passado. Depois de diluída em água, a planta costumava ser útil especialmente por suas propriedades antisséptica e vermífuga.

Absinto, a bebida destilada feita da Losna, foi sucesso especialmente na França, no final do século XIX. Além do álcool, ela também continha um óleo essencial extremamente ativo e tóxico em altas doses: o tuieno (ou tujona).

A substância psicoativa chamada tujona possui efeito que lembra o do THC da Cannabis sativa, a maconha. A tujona altera a percepção sensorial, podendo levar a alucinações, excitação e hiperatividade.

No entanto, há quem defenda que boa parte da “animação” pode ser creditada à graduação alcoólica de produtos como a Absinthe Suisse, que variava 68 e 72%, isto é, não era preciso beber muito para “sair do ar”.

Conhecida como “fada verde”, a bebida produzida a partir da Losna teria servido de “combustível” para estimular a criatividade de artistas renomados de várias áreas, entre os quais Picasso, Monet, Rimbaud, Baudelaire, Oscar Wilde e Paul Verlaine. Acredita-se ainda que a bebida teria ajudado a impulsionar diversos movimentos artísticos, do surrealismo ao cubismo.

Espero que tenha gostado de aprender mais sobre a Losna e seus usos. Espero você aqui em breve!

Até a próxima!

Leave a Reply