Gualtéria: conheça a “Aspirina natural”, seus usos e cuidados

Aromática, suave ao toque e com propriedades medicinais. A Gualtéria, pirola ou Gaultheria procumbens é uma velha conhecida dos nativos norte-americanos, que costumavam utilizar a planta para tratar infecções respiratórias e reumatismo. E tem muito mais neste artigo!

As ações atribuídas à Gualtéria são basicamente:

  • Analgésica
  • Anti-inflamatória
  • Antirreumática
  • Carminativa
  • Diurética
  • Emenagoga
  • Estimulante
  • Estomáquica

Um dos destaques da planta é a ação anti-inflamatória. Por isso, ela é usada como remédio caseiro principalmente contra dores reumáticas, musculares e nos tendões, além de artrite e artrose.

O que ela possui para proporcionar isso? Glicosídeo, mucilagem, fenóis (gaultherina), arbutina, salicilato de metila, ericolina, tanino, magnésio, manganês e potássio.

A Gaultheria procumbens é também conhecida como chá montês ou Wintergreen, sendo este apelido traduzido como “verde do inverno”.

Um detalhe interessante: a Gualtéria é uma das poucas que trazem salicilato de metila em sua composição. Este ativo possui propriedades analgésica e antirreumática, com ação comparada ao ácido acetilsalicílico presente na popular Aspirina.

As capacidades terapêuticas da Gualtéria são ligadas ao tratamento de tendinite, cãibra, neuralgia, dor de cabeça, ciática, gastrite, gota, pleurodinia e leucorreia. Neste último caso, em ducha vaginal usando infusão da planta.

As preparações obtidas a partir da Gualtéria incluem ainda cremes, gel linimento (bálsamo) e óleo essencial. No Brasil, normalmente é encontrada em lojas de ervas e farmácias de manipulação na forma de óleo, feito com as folhas do vegetal.

O óleo essencial de Gualtéria é o principal item de uso externo; é achado em inúmeros linimentos, inclusive em formulações chinesas. A característica picante da erva faz dela uma boa opção em doenças inflamatórias agudas ou crônicas.

O produto conta com as propriedades analgésica, antirreumática, descongestionante e antisséptica, sendo aproveitado na medicina alternativa junto com óleos de massagem para aliviar problemas musculares e luxações.

O aroma refrescante do azeite de Gualtéria lembra o “Gelol”. Por este motivo, costuma ser eficaz contra dores de cabeça, gripes e resfriados. Na verdade, diz-se que a formulação dele contém esta erva.

Sem falar que o óleo vegetal serve para ser utilizado no creme dental e em lavagens bucais, para renovar a respiração. E ainda pode produzir um efeito calmante em pessoas inquietas ou tensas.

Falando em dentes, uma curiosidade: era costume de povos antigos mastigar folhas de Gualtéria durante semanas para tentar prevenir a perda deles.

Acredita-se que outra função dessa prática, para os nativos norte-americanos, seria aumentar a capacidade respiratória enquanto trabalhavam duramente ou percorriam grandes distâncias.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Gualtéria: contraindicações e efeitos colaterais

A Gualtéria é contraindicada para grávidas, lactantes e pessoas com alergia ao ácido acetilsalicílico (AAS) – embora os salicilatos naturais sejam menos ativos do que a Aspirina.

Geralmente, os efeitos adversos acontecem quando há exagero nas doses da planta. Os mais comuns, decorrentes do envenenamento, são dificuldades para respirar, dor de estômago e vômito.

Importante: os salicilates presentes Gualtéria podem interagir com determinados medicamentos, provocando sangramentos e outros efeitos adversos.

É preciso tomar cuidado ao administrar a erva se o indivíduo estiver tomando drogas uricosúricas, anticoagulantes, abortifacientes, citotóxicos, antieméticos, antiepiléticos, diuréticos ou anti-inflamatórios não esteroides.

Embora a Gualtéria não seja, oficialmente, uma planta medicinal em nenhum país, o componente metilsalicilato, encontrado no óleo de suas folhas, é citado em diversos livros que trazem arte e técnica de preparar medicamentos no mundo todo.

Antes de encerrar, não custa reforçar que o óleo essencial de Gualtéria deve ser usado somente em áreas externas.

Cuide-se!

Até o próximo artigo…

Leave a Reply