Dulcamara: propriedades, usos e advertências

Dulcamara ou Solanum dulcamara é uma planta da família Solanáceas utilizada na medicina popular graças a suas propriedades analgésica, sedativa, diurética, antimicrobiana e laxativa, entre outras. Saiba mais nos próximos parágrafos, incluindo conselhos sobre seu uso!

É chamada também de doce-amarga, uva-de-cão e erva moura de trepa, uma planta considerada ainda expectorante, febrífuga, sudorífica e antirreumática. Para muitos, é uma erva ideal para favorecer o funcionamento intestinal e, por consequência, ajudar inclusive na perda de peso, quando aliada a uma dieta equilibrada.

Originária da Europa, é encontrada em várias partes do mundo, na maioria das vezes em lugares úmidos e serras. Chega até 3 m de altura e apresenta folhas verdes em formato ovalado, pequenos frutos avermelhados e flores nas tonalidades violeta e azul.

Para obter as propriedades terapêuticas atribuídas à Solanum dulcamara, as partes utilizadas são suas folhas secas e cascas de ramos jovens. O que vai depender da intenção de uso da planta.

Uma curiosidade: acredita-se que ela é tão antiga que seus frutos secos teriam sido encontrados em um colar no túmulo de Tutancâmon, um dos grandes faraós do Egito.

E mais: pode ser uma opção interessante para tratar bronquite crônica, reumatismo, pneumonia, inflamações nas articulações e doenças venéreas. Além disso, o chá de Dulcamara é considerado ótimo para combater acne, eczema, verrugas, erupções e outros problemas de pele.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e tratamentos médicos. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento. Não pratique a automedicação.

O uso de Dulcamara é contraindicado para crianças, grávidas e lactantes. É importante destacar que, embora o chá feito com ela possa, segundo conhecimentos populares, auxiliar em diversos sentidos, trata-se de uma bebida com potencial tóxico elevado.

Há informações na internet sobre seus efeitos adversos, principalmente se a planta for utilizada sem acompanhamento especializado e em excesso. São eles: convulsão, diminuição dos batimentos cardíacos, cólicas abdominais, vômito, ansiedade, vertigem, câimbras musculares, paralisia do sistema nervoso, distúrbios respiratórios, delírio e até morte.

Dulcamara: veja suas características e possíveis usos

Diz-se que o cozimento da erva é capaz de impulsionar as trocas metabólicas e tonificar nosso organismo. Acredita-se que o chá de Dulcamara, devido suas características desintoxicantes, purificantes e diuréticas, pode estimular o emagrecimento.

Não custa nada lembrar que, uma planta, por si só, não deve ser o único elemento na redução de medidas, ainda que seu poder neste sentido tenha sido comprovado cientificamente. Portanto, quem deseja eliminar uns quilinhos precisa investir também em alimentação saudável e balanceada, além de fazer atividade física com regularidade.

No uso interno, o chá obtido com este subarbusto costuma ser empregado como febrífugo e para colaborar com o tratamento de enfermidades na pele, colite ulcerativa, reumatismo, icterícia, pneumonia, bronquite crônica, congestão nos brônquios e doenças venéreas.

Já no uso externo, a Dulcamara tende a ser indicada para combater eczemas, urticária, psoríase e ulceração na pele. Para isso, normalmente, basta ferver 1 xícara da erva em água durante cerca de 30 minutos. Depois de coado e frio, o chá pode ser utilizado para lavar a pele que apresenta condições como psoríase, eczemas e abscessos, entre outros.

Todavia, é preciso ressaltar que encontrei em minhas pesquisas menção ao fato de não haver, até o momento, qualquer comprovação científica dos efeitos benéficos da planta. Mais um motivo para você, caso tenha interesse nela, buscar informações precisas de um profissional experiente e capacitado.

Conclusões…

Popularmente chamada de uva-de-cão, doce-amarga e erva moura de trepa, a Dulcamara é uma planta muito antiga. Sempre teve suas propriedades medicinais associadas ao tratamento de inflamações nas articulações, verrugas e doenças de pele.

As supostas propriedades medicinais da Dulcamara incluem as ações:

  • Analgésica
  • Antimicrobiana
  • Antirreumática
  • Diurética
  • Expectorante
  • Febrífuga
  • Sedativa

Atualmente, há quem procure o vegetal também para perder peso, devido suas propriedades diurética, desintoxicante e purificante, estimulando o funcionamento do intestino. Mas, por outro lado, a Solanum dulcamara pode causar efeitos adversos fortes.

Cuide-se!
Até a próxima…

Leave a Reply