Condurango: propriedades, usos medicinais e precauções

O uso popular da planta Condurango geralmente é como auxiliar no tratamento com hemodiálise e, ainda, estimulante sexual. Mas ela também é utilizada para falta de apetite, anorexia, verrugas, sífilis, tumores e dispepsia. Dá uma olhada no post até o fim para saber mais!

Embora haja recomendação de aproveitamento do vegetal Condurango apenas externamente devido sua toxidade, há quem recorra a suas folhas secas e moídas para obter um chá com intenção de tratar afecções renais, por exemplo.

A casca é aproveitada na forma de tintura, chá ou cápsulas, contudo, é preciso ter cuidado com o látex presente na árvore. Com poder cáustico, ele não deve ser ingerido – normalmente, serve para aplicação em verrugas.

Falando em uso externo, algumas pessoas buscam, por meio do Condurango, ajuda para curar feridas, inflamações osteoarticulares e úlceras dérmicas.

Na homeopatia, a espécie tem boa reputação no tratamento do cancro, rachaduras nos cantos da boca, entre outras indicações.

O princípio ativo mais importante dela é a condurangina, porém, a raiz traz ainda óleo essencial rico em glicosídeos amargos, taninos, resina, alcaloides e fitoesterois.

Na internet, há menção a pesquisas com animais nas quais a Condurango apresentou propriedades antioxidante e anti-inflamatória. Já estudos em tubos de ensaio teriam revelado sua indicação contra o micro-organismo causador da tuberculose.

Em geral, tudo indica que os benefícios da Condurango mais destacados surgem em sua função antiemética, isto é, quando ela é empregada com objetivo de amenizar enjoo, vômito e náuseas, e reduzir espasmos estomacais.

E mais: as propriedades e indicações da erva incluem capacidades aperitiva e digestiva. Suas ações medicinais esperadas abrangem favorecimento no tratamento de gastrite, úlceras gastroduodenais, disquinesias hepatobiliares e dispepsias hiposecretoras.

Os princípios amargos presentes na planta são capazes de estimular as secreções digestivas. E é justamente por causa destes compostos que, juntamente com a genciana e o lúpulo, o vegetal Condurango tende a ser empregado no tratamento de vários tipos de anorexia.

Diz-se que, em meados dos anos 1980, o uso dele como tônico digestivo foi validado cientificamente, quando pesquisadores notaram aumento da quantidade de enzimas digestivas e sucos estomacais durante testes laboratoriais.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Condurango: contraindicações e efeitos colaterais

A Condurango é contraindicada para gestantes e pessoas em tratamento com cardiotônicos, uma vez que pode potencializar o efeito. Indivíduos com alergia ao látex podem apresentar reação ao consumir o chá da erva.

Em excesso, as conduranginas causam transtornos visuais, vertigens, ataxia, convulsões e depressão severa do sistema nervoso central, podendo levar à morte.

Quanto às características da planta, Marsdenia condurango ou Gonolobus condurango Triana é uma espécie medicinal pertencente à família Asclepiadaceae, originária da América do Sul. No Brasil, é encontrada na Amazônia.

É uma trepadeira que cresce espontaneamente nos Andes, Peru, Equador e Colômbia, entre 1500 e 2000 m de altitude, exibindo talos fortes suculentos, folhas peludas ovais grandes em cor verde intensa e flores pequenas amareladas. Seu sabor lembra o da canela, só que amargo.

Seu nome popular Condurango tem origem indígena: condur-angu, que significa “cipó de condor”. Ele surgiu a partir de uma lenda andina na qual esta ave usaria as folhas da planta para se curar de picadas de cobras.

A árvore chegou à Europa por volta de 1871, mas sempre foi bastante utilizada na América do Sul para combater males no estômago.

É conhecida também como e condor plant (inglês), cundurango, bejuco de sapo, videira de águia, condurango branco verdadeiro, bejuco del cóndor (espanhol), além dos sinônimos botânicos Echites acuminata, Gonolobus condurango e Marsdenia reichenbachii.

Cuide-se!

Até breve…

Leave a Reply