Catinga-de-mulata: para espantar vermes e até maus fluidos

Olhando para ela, parece uma planta qualquer, mas a Catinga-de-mulata é, para muitos, uma erva medicinal poderosa, de várias maneiras. Você vai entender como a partir de agora… Vem comigo!

O chá de Catinga-de-mulata é utilizado como remédio caseiro principalmente contra vermes, pois é extremamente tóxico para eles devido presença de uma substância chamada tujona.

Além da função vermicida, a bebida pode ajudar em problemas distintos: flatulências, dores musculares e reumáticas, gota, asma, histerismo, aerofagia, dismenorreia, bronquite, epilepsia, taquicardia, menstruação irregular, gripes, resfriados, enfermidades na pele, cãibra, distúrbios na vesícula biliar e disfunções renais.

Na parte digestiva, a Catinga-de-mulata é associada à inibição da indigestão, ao aumento do apetite, combate a úlceras e outras condições que afetam o estômago (propriedade carminativa).

Uma dica de receita de chá de Catinga-de-mulata, encontrada na internet, diz que seu preparo consiste em colocar 1 litro de água para levantar fervura, desligar o fogo neste ponto e acrescentar 2 colheres (sopa) da erva.

Em seguida, a mistura deve permanecer tampada por 10 minutos. Depois, é só coar e ingerir quando a temperatura estiver ideal para você. O gosto é agradável, não sendo necessário o uso de açúcar ou adoçantes.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

Aviso: o chá de Catinga-de-mulata não deve ser consumido por grávidas, uma vez que seu potencial tóxico pode causar aborto espontâneo, e por menores de dois anos.

Lactantes também são desaconselhadas a ingerir a bebida porque os elementos maléficos podem ser passados para o bebê através do leite, desencadeando infecção na criança.

A aplicação tópica da erva está associada ao risco de sensibilidade. Portanto, se você pensa em usar Catinga-de-mulata para limpar ferimentos, aliviar erupções cutâneas e comichão, procure um especialista primeiro.

Em excesso, o chá tende a provocar vômito, mal-estar, diarreia, tontura, calafrio e até convulsões, entre outros efeitos colaterais. O ideal é sempre contar com supervisão apropriada antes de iniciar qualquer tratamento, inclusive com ervas medicinais.

Você viu nos parágrafos anteriores os possíveis benefícios da Catinga-de-mulata consumida em forma de chá. Porém, acredita-se que suas ações trazem resultados excelentes ainda quando a planta é aproveitada em males externos.

Por exemplo: piolhos, feridas, psoríase e furúnculos. Em geral, eles tendem a ser solucionados – ou pelo menos aliviados – aplicando o azeite do vegetal no local lesionado. Fora isso, o chá também pode ser passado na pele.

catinga-de-mulata

Catinga-de-mulata: características

A Catinga-de-mulata é conhecida em alguns lugares como tanaceto, atanásia, tasneira e erva de São Marcos. Cientificamente, é chamada de Tanacetum vulgare.

Há muito tempo, é utilizada medicinalmente, como erva com propriedade preservativa e, ainda, pesticida. No entanto, é tóxica para animais e humanos, sendo seu uso mais restrito atualmente.

Esse pequeno arbusto com flores quase douradas é encontrado com facilidade América do Sul, Europa e América do Norte. Ele costuma florescer no verão, proporcionando uma bela e densa camada de flores.

Para completar o visual, conta com folhas em tom verde-escuro, repletos de folículos dentados, que exalam um forte aroma; já seu talo é robusto e mede aproximadamente 60 cm de altura.

A planta cresce abundantemente em estradas rurais, prados e rios, mas também é cultivada como espécie ornamental de jardins.

Como eu falei na abertura deste artigo, muita gente considera a Catinga-de-mulata uma planta poderosa de maneiras variadas. Um dos usos mais comuns dela é no preparo de águas de cheiro e loções que, segundo tradições do candomblé, servem para proteger contra maus fluidos.

Hoje eu fico por aqui… Cuide-se! E até breve…

Leave a Reply