Cardo-santo: age contra males digestivos, nervosos e outros

As indicações do chá de Cardo-santo na medicina caseira são muito variadas, pois vão da ansiedade à hemorragia. Mas a planta é mais famosa como remédio natural para problemas digestivos. Vem comigo descobrir propriedades, benefícios e cuidados associados a ela!

As propriedades do Cardo-santo incluem ações diurética, expectorante, digestiva, descongestionante, fortificante, cicatrizante, adstringente, estimulante, tônica e antisséptica.

Há quem recorra ao vegetal para tratar anorexia, febre, depressão, diarreia, feridas, úlceras, dispepsia, falta de apetite, flatulência; para evitar a gravidez, eliminar muco, melhorar o funcionamento do fígado ou da memória; aliviar veias varicosas, dores de cabeça e cólicas; combater gripe, resfriado, cistite e inchaços, entre outras condições.

Cardo-santo, cardo bendito, cardo benedito ou cardo-bento é oficialmente chamada de Carduus benedictus. A erva possui sabor muito amargo – para alguns nada agradável. Mas nada que um pouco de mel não possa disfarçar.

Outra forma de mascarar o gosto forte é colocar pedaços da planta seca em uma garrafa escura de vinho seco e deixar a mistura descansar durante uns 5 dias, em local escuro. Depois, a bebida pode ser consumida em cálices.

A planta é encontrada em algumas feiras livres, farmácias de manipulação e lojas de produtos naturais, sendo, normalmente, as folhas e caule usados para fazer infusões e cataplasmas.

Só que, na web, encontrei a possibilidade de preparar o chá com a planta inteira, desde que esteja seca e tenha sido colhida no começo da floração, ou seja, logo no início do surgimento das flores.

Para o tratamento de úlceras e feridas infeccionadas na pele, por exemplo, geralmente a planta é fervida em água e aplicada no local afetado após amornar.

Uma receita de chá de Cardo-santo disponível na internet diz o seguinte: coloque ½ litro de água para ferver durante junto com 2 colheres (sopa) de folhas e flores secas e picadas; desligue e espere o líquido ficar morno. Adoce com mel, se preferir.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

O Cardo-santo é contraindicado para gestantes, lactantes e crianças.

Cardo-santo: características e história

Pertencente à família Asteraceae, cardo-bento é uma planta muito antiga, utilizada tempos atrás até para curar pestes. Diz-se que suas propriedades e benefícios medicinais são conhecidos há mais de 2 mil anos.

Tudo indica que registros do século I apontam o uso dela pelos romanos, com a intenção de proteger o fígado. E que outras referências médicas dos séculos XVIII e XIX citam o cardo benedito no tratamento de diversos males.

Oriunda da Europa Mediterrânica, cresce em Portugal e em locais como o Alto Alentejo. Acredita-se que ela veio para o Brasil através da Índia para tentar curar as enxaquecas do imperador Frederico III da Alemanha.

Das características gerais, o Cardo-santo é uma herbácea anual, ereta, espinhenta, baixa e com poucos ramos. Apresenta caules roxos, raízes brancas aromáticas, folhas inteiras medindo até 16 cm de comprimento.

As flores amarelas, solitárias, contam com aroma suave e agradável, surgindo geralmente entre abril e junho. Já seu fruto é levemente azedo.

Toda a planta conta com gosto amargo acentuado. Tanto é que o chá de Cardo-santo está classificado como tônico amargo, sendo suas indicações principais as dificuldades digestivas e a falta de apetite.

Como você viu hoje, o que não falta é indicação de uso e história envolvendo o cardo-bento. Sem dúvida, uma planta com potencial terapêutico bastante aproveitado popularmente e que merece destaque entre as ervas medicinais, assim como mais pesquisas para analisar suas propriedades e formas seguras de uso.

Até o próximo artigo!

Leave a Reply