Calêndula ajuda cuidar da pele e do bem-estar; saiba como

Calêndula ou, oficialmente, Calendula officinalis, é uma linda planta medicinal de flores alaranjadas ou amareladas repletas de propriedades benéficas à saúde. Uma das mais conhecidas é o combate a problemas de pele. E tem mais…

Também conhecida como margarida dourada, verrucária, bem-me-quer, malmequer e maravilha, ela serve para auxiliar no clareamento de manchas, tratamento de psoríase, acne, dermatite, aftas, gastrite, dismenorreia, verrugas, úlceras, rachaduras no seio, assaduras, queimadura de sol, feridas, candidíase, alergias, brotoeja, cólica menstrual e inflamações.

A Calêndula possui funções:

  • Adstringente
  • Analgésica
  • Antiabortiva
  • Antialérgica
  • Antifúngica
  • Anti-inflamatória
  • Antiviral
  • Bactericida
  • Calmante
  • Cicatrizante
  • Reguladora da menstruação
  • Tonificante da pele

A Calêndula é capaz, ainda, de ajudar a regular o hormônio estrogênio, agindo positivamente na saúde feminina quando a mulher entra na menopausa.

Para obter as propriedades medicinais da Calêndula, é possível aproveitar folhas, flores e caules, sendo todos estes utilizados no preparo de infusão, chá, banho, cataplasma, pomada e tintura.

Os itens à base de Calendula officinalis são encontrados em lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação. Já a planta in natura pode ser comprada em alguns mercados e feiras livres.

Na verdade, há séculos o gênero Calêndula é reconhecido como medicinal. No entanto, a espécie Calendula officinalis é cultivada tanto para esta finalidade quanto para aplicação em cosméticos e pigmentos.

Diz-se, ainda, que a única estudada até o momento é a Calendula officinalis. Por isso, é a espécie sobre a qual podemos ter mais segurança em relação ao conhecimento de sua dosagem e efeitos adversos, por exemplo.

Existem também a Calendula arvensis, presente nos campos do Mediterrâneo, e a Calendula maritima, oriunda das ilhas mediterrânicas, que são empregadas na medicina popular – e que, supostamente, possuem capacidades curativas iguais às da Calendula officinalis.

As flores de Calêndula são conhecidas em alguns lugares como Marigold (em inglês). Entretanto, é bom destacar que nem toda Marigold é uma Calêndula ou contém suas propriedades medicinais. Então, nada melhor do que contar com ajuda profissional especializada para tirar todas as dúvidas, certo?

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e tratamentos médicos. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

O uso abusivo de qualquer erva ou planta medicinal pode provocar reações desagradáveis ou até perigosas. O excesso na ingestão de Calêndula tende a causar náusea, vômito, depressão, nervosismo e falta de apetite. O uso interno de Calêndula em gestantes não é recomendado.

Calêndula:  usos, curiosidades e recomendações

Durante a Primeira Grande Guerra, a Calêndula foi muito usada por suas ações antisséptica, cicatrizante, anti-inflamatória e bactericida. Graças a suas inúmeras propriedades medicinais, pode ajudar na recuperação de ferimentos e, portanto, a salvar vidas.

A Calendula officinalis é reconhecida pelo Ministério da Saúde brasileiro desde 2009. Ela faz parte da lista de plantas fitoterápicas utilizadas pelo Serviço Nacional de Saúde (SUS).

Mas o que ela possui que faz tanto bem e a inclui em algo tão importante? A resposta está na pétalas e pólen da Calendula officinalis, cheios de esteres triterpenoides, responsáveis por sua ação anti-inflamatória, e carotenoides flavoxantina e auroxantina, componentes antioxidantes.

Pensa que acabou? Não! As folhas e os caules da planta fornecem principalmente luteina, zeaxantina e betacaroteno. Fora o aspecto medicinal, os extratos de Calêndula são aproveitados pela indústria cosmética porque trazem saponinas, resinas e óleos essenciais benéficos à pele.

Aviso: a Calêndula não está isenta de causar alergias em pessoas sensíveis ou predispostas. Antes de aplicar ou ingerir produtos feitos com a planta, a dica é passar um pouco de óleo ou da tintura-mãe na parte interna do pulso ou atrás da orelha, que são áreas mais irrigadas e sensíveis. Se surgir vermelhidão ou coceira, interrompa o uso imediatamente.

Isso pode ser um sinal de que seu organismo e a Calêndula talvez não venham a ter uma boa relação…

Cuide-se!

Até breve…

Leave a Reply