Barbatimão: anti-inflamatório e cicatrizante natural; saiba mais

Barbatimão, barbatimão-verdadeiro, ubatima, barba-de-timan ou casca-da-mocidade. O tema de hoje é uma planta medicinal utilizada para combater dor, hemorragia, inchaço e hematomas na pele. E tem muito mais nos próximos parágrafos…

Suas propriedades incluem ainda ações cicatrizante, antimicrobiana, antioxidante, tônica, desinfetante e antibacteriana, além de poder anti-hipertensivo, antiparasitário, antidiabético e diurético.

Outra função atribuída ao Barbatimão é auxiliar na eliminação de toxinas do organismo. Devido suas características terapêuticas, é uma espécie muito utilizada em casos de dor, seja ela local ou generalizada, com objetivo de reduzir a sensibilidade e o desconforto.

Tudo isso faz com que o barba-de-timan seja interessante para ajudar a tratar feridas, queimaduras, dor de garganta, malária, entre outros problemas.

Na saúde feminina, o Barbatimão costuma ser útil no combate a inflamações nos ovários e útero. E mais: controle de hemorragias e condições como corrimento vaginal e gonorreia.

Nas farmácias de manipulação, essa planta de nome científico Stryphnodendron barbatimam Mart. é vendida na forma de cremes, pomadas, sabonetes e tintura. Mas ela também pode ser encontrada em lojas de produtos naturais.

Existe até uma pomada à base de barbatimão-verdadeiro que é considerada atualmente uma promessa no tratamento do HPV. Tudo indica que o desempenho dela nos estudos tem sido bom, levando a crer em possível cura da infecção com o produto.

O princípio ativo da casca-da-mocidade é encontrado ainda em formulações cosméticas (cremes e sabonetes) com efeito anti-inflamatório e cicatrizante.

Há, inclusive, sabonetes medicinais, utilizados em tratamentos da psoríase e outras doenças de pele, produzidos com Barbatimão.

As folhas são utilizadas em compressas e cataplasmas para tratar feridas e queimaduras, estimulando a cicatrização. No entanto, suas propriedades estão mais concentradas nas cascas dos troncos e galhos. E estas partes são especialmente empregadas na ginecologia natural.

Mas, antes mesmo de as pesquisas explorarem os bioativos e benefícios do Barbatimão, os índios já aproveitavam a planta em diversas funções ou finalidades.

Por exemplo: tratar úlceras, enfermidades e infecções na pele, hipertensão, hérnia, gastrite, conjuntivite, diarreia, incômodos na garganta, disfunções nos rins, distúrbios no fígado. Sem falar nos males que acometem a epiderme, dos quais já falei anteriormente.

Algumas curiosidades: essa planta do cerrado brasileiro é rica em taninos, e muito usada por indígenas para criar suas tinturas de pele. O nome dela tem origem em uma expressão indígena que significa “a árvore que aperta”, devido suas propriedades adstringentes.

E como se não bastassem todos os seus atributos medicinais, a espécie é usada na produção de sabão, no lugar da soda cáustica, na construção civil e no curtume de couro.

A variedade de possibilidades medicinais do Barbatimão ocorre porque ele pode ser passado diretamente na pele ou ser usado para fazer o chá de suas cascas e folhas.

Importante: o conteúdo deste post tem função de informar. Não substitui consultas e acompanhamento especializado. Procure um fitoterapeuta para ter a recomendação segura, de acordo com cada pessoa em particular – e jamais ultrapasse as doses prescritas dos remédios naturais.

Barbatimão em chá: preparo e recomendações

Normalmente, o chá de Barbatimão é preparado assim:

1. Coloque 20 g das folhas ou cascas de Barbatimão em 1 litro de água fervente.
2. Deixe a mistura descansar por cerca de 10 minutos.
3. Coe e beba o chá – geralmente é de 3 a 4 vezes por dia.

A receita acima serve também para banho de assento com intenção de combater doenças nas partes íntimas.

Atenção: todas as plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um profissional da área e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

O Barbatimão é contraindicado para: gestantes, lactantes, pessoas com problemas graves no estômago (úlcera ou câncer). Entre os efeitos colaterais da planta estão: irritação estomacal, aborto e envenenamento, sendo este último devido a excesso na quantidade ingerida.

Cuide-se! Até a próxima…

Leave a Reply