Avena Sativa: benefícios nutricionais e medicinais

Avena Sativa ou, simplesmente, aveia é uma planta da família Graminacea, cujas sementes são usadas de inúmeras formas, da culinária aos produtos cosméticos e medicinais. E hoje você vai entender melhor como tudo isso funciona…

A origem da aveia não é muito precisa, embora tudo indique que ela tenha sido introduzida primeiramente na Grã Bretanha. O fato é que existem cerca de 25 variedades cultivadas de Avena Sativa, sendo sua qualidade nutricional menor em um determinado peso do que a encontrada em outros cereais.

Sem dúvidas, a Avena Sativa é uma das gramíneas de mais valor econômico e de maior cultura, especialmente para uso de seus frutos, conhecidos como grãos ou sementes.

Sobre a ação medicinal e os usos da aveia, ela é tônica dos nervos, estimulante e antiespasmódica. Há um alcaloide no pericarpo da aveia que age como estimulante dos gânglios motores, potencializando a excitabilidade muscular. O extrato e a tintura de Avena Sativa são tidos como ótimos tônicos nervosos e uterinos.

É possível aproveitar seus benefícios em mingaus, por exemplo. O alimento é fácil de digerir e pode ser utilizado em casos de febre e até em envenenamento por produtos ácidos. Outro jeito de recorrer à Avena Sativa é na forma de enema ou, ainda, em emplastro, como emoliente.

Quanto às características da planta, é uma espécie de colmos eretos, que chegam a 1m de altura. Traz folhas planas, largamente lineares e ligeiramente ásperas.

Inteira ou transformada em farinha, a aveia serve de alimento para animais (gado leiteiro, carneiros e cavalos), uma vez que fornece 66% de amido de compostos açucarados.

Avena Sativa traz duas proteínas características: avenamina e a prolamina; é fonte de matéria graxa e nitrogenada (20%) e proteína real (18,6%), com resultado comprovado na secreção de leite.

O maior consumo da Avena Sativa nos países anglo-saxônicos é no mingau – um preparo recomendado para crianças e pessoas com dificuldade de digestão (dispépticas).

Sua farinha de cor parda, amarelada, possui qualidade inferior para produção de itens como o pão. Por isso, é muitas vezes misturada com a farinha de trigo para a confecção dele.

Mesmo assim, não perde seu posto de importante ingrediente na alimentação humana, além de ser usada como forragem na Inglaterra e França, entre outros países. Sem falar que ainda compõe grande parte do uísque e das cervejas.

Avena Sativa: outros usos e características

O extrato glicólico de aveia oferece ações: suavizante, hidratante, restauradora dos tecidos, emoliente, nutritiva, remineralizante e amaciante.

São motivos mais do que suficientes para justificar a presença da Avena Sativa em produtos para banho, sabonetes, cremes, loções de limpeza, preparações capilares, máscaras faciais, géis, loções cremosas (hidroalcoólicas ou tônicas) etc. A lista é longa, e vai dos cosméticos em geral aos itens para peles sensíveis e delicadas.

Os princípios ativos de suas sementes são: lipídios, enzimas, ácido silício, aminoácidos (peptídeos); pectina, lecitina, oligoelementos, alcaloides; açúcares, sais minerais, vitaminas (complexo B, E e K) e protídeos.

Muito popular na culinária, a aveia ainda pode ser empregada na forma de chá, um grande aliado da saúde mental. A mucilagem dela, por sua vez, ajuda amenizar distúrbios intestinais ligados à diarreia.

Além disso, a aveia fornece um alimento hidrocarbonato que é mais facilmente tolerado por diabéticos que outros cereais.

A farinha de aveia é rica em substâncias que inibem o ranço em óleos e gorduras quando estes entram em contato com o oxigênio do ar.

Para alguns, a tintura de Avena Sativa é considerada remédio tranquilizante, aliada do sono e auxiliar de mecanismos orgânicos construtores.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas ou de nutricionistas.  Consulte sempre um especialista antes de fazer qualquer tratamento ou mudanças significativas na sua dieta. 

E você, como prefere desfrutar dos benefícios nutricionais e medicinais da Avena Sativa?

Deixe seu comentário! E até breve…

Leave a Reply