Alho de Urso: planta é depurativa e anti-hipertensiva; saiba mais

Depois que o urso selvagem acorda de sua hibernação, ele come uma certa planta em grande quantidade. Então, ela ganhou o nome Alho de Urso, uma espécie com propriedades medicinais que você vai conhecer hoje.

Seu nome científico é Allium ursinum, mas popularmente ainda é conhecida como alho selvagem ou alho-silvestre. Essa planta medicinal faz parte da família Liliaceae e vem sendo utilizada ao longo dos anos para tratar condições como hipertensão e arteriosclerose.

Outros benefícios associados ao Alho de Urso são o combate a problemas gastrointestinais, colesterol alto e excesso de gases no intestino. Tudo porque a planta é rica em enxofre e óleos voláteis. Seu bulbo ainda fornece bons níveis de bioativos, atuando como expectorante, adstringente e diurético.

As propriedades do alho selvagem ocorrem devido presença de óleos voláteis sulfurados (aliina) e flavonoides. O vegetal conta com ação hipolipemiante, isto é, capaz de reduzir a taxa do colesterol ruim, o LDL, e elevar a de HDL, o colesterol do bem.

E mais: Allium ursinum possui propriedade antisséptica; hipotensora, ou seja, atuante na dilatação dos vasos, e inibidora da agregação das plaquetas sanguíneas.

Também fornece uma quantidade mais alta de enxofre e adenosina do que qualquer outro vegetal. Destacando que a adenosina é um componente fundamental na regulação da hipertensão e da taquicardia.

Principalmente em relação à hipertensão e ao colesterol, é bom deixar claro que o Alho de Urso pode ser uma forma de tratamento complementar, não substituindo os remédios principais – e contando com supervisão apropriada.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui consulta e prescrições médicas. Plantas medicinais podem ter contraindicações e interações medicamentosas. Consulte sempre um naturopata ou fitoterapeuta e seu médico antes de começar qualquer tratamento.

O Alho de Urso é um vegetal que cresce abundantemente nas regiões montanhosas da Europa, especialmente. Colhido na primavera, acaba servindo de ingrediente para diversos preparos industrializados, entre os quais gotas e cápsulas vendidas em farmácias de manipulação ou lojas de produtos naturais.

As partes utilizadas para obter os efeitos terapêuticos da planta são as folhas e o bulbo. Porém, muita gente ainda não aproveita bem tais benefícios porque confunde o alho selvagem com outras espécies.

Alho de Urso: como identificar; indicações e curiosidades

O Alho de Urso costuma ser confundido com o lírio-do-vale e o açafrão do prado, por exemplo. Para diferenciar, a dica é começar pelo cheiro: as duas últimas ervas não apresentam o odor de alho que a primeira possui.

Fora isso, as folhas do alho silvestre, que têm consistência delicada, contam com parte superior brilhosa e inferior opaca. Já o açafrão do prado dispõe de folhas firmes, resistentes; enquanto no lírio-do-vale a folhagem é flexível, opaca em cima e brilhante em baixo.

Não custa nada lembrar da importância de ter sempre ajuda de um especialista em plantas medicinais para orientar o uso delas, evitando inclusive complicações decorrentes de automedicação. Ressaltando também que muitas plantas contam com potencial tóxico maior.

Ao que parece, embora a maioria dos efeitos do alho selvagem não tenha sido comprovada pela ciência, os resultados na parte cardiovascular são animadores.

Para encerrar…

Os bosques alpinos ficam repletos de folhas frescas de Alho de Urso no início da primavera. Um banquete para os animais que despertam de seu sono hibernal e aproveitam a planta para limpar o organismo, mais precisamente o sangue, o estômago e os intestinos.

É possível afirmar, de modo geral, que o alho-silvestre dispõe das mesmas propriedades de nosso famoso alho comum, porém, é ainda mais eficiente. Por essa razão, é recomendado para promover a cura depurativa e favorecer o tratamento de enfermidades de pele crônicas, entre outras.

Aproveite as ervas e plantas medicinais você também!

Até breve…

Leave a Reply