Agnocasto: usos e benefícios

O agnocasto – chamado, por alguns, de vitex – é uma erva nativa da região mediterrânea e da Ásia Central. É utilizada há milênios nas medicinas tradicionais da região, para os mais diversos tipos de efeitos.

Entre eles, destacam-se os efeitos relacionados à saúde feminina. É o caso do estímulo da produção de leite, em lactantes, o aumento da fertilidade e a diminuição de sintomas da tensão pré-menstrual.

Em função de sua tradição, a planta é utilizada até hoje para estes efeitos, espalhando ao redor do mundo. Seu consumo pode ser feito através do chá de agnocasto, ou com suplementação direta em cápsulas, tabletes ou em pó.

Saiba tudo sobre o agnocasto, e como seus efeitos podem fortalecer a saúde:

Qual o segredo do agnocasto?

Atualmente, a atuação exata do agnocasto sobre a saúde ainda é relativamente misteriosa. Embora seus efeitos sejam conhecidos há muito tempo, a forma como eles são obtidos não é bem clara para a ciência.

É possível que o segredo esteja na atuação sobre a dopamina, que estimularia a produção de leite e atuaria sobre receptores de dor no corpo, promovendo alívio. Outras teorias indicam que sua atuação ocorre sobre o sistema endócrino como um todo. Isso permitiria a promoção de equilíbrio geral, e atuação sobre a glândula pituitárias – que regula a progesterona e o estrogênio.

Mesmo sem que saibamos exatamente qual é a forma de atuação do agnocasto, os séculos de registro sobre seus benefícios são suficientes para determinar em que ele auxilia no corpo:

Sintomas da TPM

cha-de-erva-joao-da-costa

Embora a TPM não seja uma condição problemática que deva ser tratada (pois é uma situação natural do corpo feminino), alguns de seus sintomas podem ser muito incômodos para a mulher. Estima-se que cerca de 75% das mulheres sofram com sintomas exagerados da TPM. É o caso de dores de cabeça, dores nas costas, dificuldade de concentração e fadiga.

O agnocasto é conhecido pela capacidade de lidar com estes sintomas e, até mesmo, promover mais regularidade nos ciclos. Um estudo publicado em 2013 demonstrou que ele é especialmente eficiente no tratamento de dores de cabeça promovidas pela TPM.

Os resultados foram observados em mulheres que consumiam cerca de 40 miligramas de agnocasto diariamente. Trata-se de uma quantidade facilmente obtida através de suplementação ou chás. Em outras palavras, é um tratamento acessível para qualquer mulher.

Aumento da fertilidade

O agnocasto é geralmente utilizado para aumentar a fertilidade, especialmente em mulheres que não ovulam regularmente. Este tratamento é realizado nas áreas do mediterrâneo há séculos, de acordo com os registros históricos.

Sabe-se que seu controle sobre o estrogênio e a progesterona auxilia tanto na fecundação, quanto na manutenção da gravidez. Parte destes benefícios é associada à maior regularidade da menstruação.

Gravidez, agnocasto e precauções

agnocasto_ng1

De acordo com um estudo brasileiro publicado em 2012, o uso de agnocasto durante o primeiro trimestre de gravidez reduz as chances de aborto espontâneo. No entanto, não há mensurações a respeito dos resultados da alteração hormonal que ele promove, durante a gravidez.

Por isso, após engravidar, a opção mais segura é interromper o consumo, e basear sua dieta em recomendações médicas. Embora a planta não seja comprovadamente ruim para a gravidez, não há estudos suficientes para demonstrar que seu risco compense a utilização.

Veja também:

Leave a Reply